Centrais sindicais convocam greve geral na próxima sexta-feira (14) contra reforma da Previdência

RIO / SÃO PAULO – Centrais sindicais de todo o país estão convocando trabalhadores de diversas categorias para a greve geral programada para sexta-feira, dia 14. O movimento é uma ação contra a reforma da Previdência e também para reivindicar temas como maior geração de empregos formais, retomada do crescimento da economia e contingenciamento na educação.

A paralisação foi aprovada por todas as centrais sindicais brasileiras que se reuniram no dia 1º de maio em um ato na capital paulista.

Em São Paulo, entidades ligadas a várias centrais e sindicatos de motoristas, metroviários, ferroviários e rodoviários confirmaram adesão à greve geral e já anunciaram que vão parar durante 24 horas.

No Rio de Janeiro, a adesão à greve está sendo decidida pelos sindicatos de cada profissão. Em assembleia organizada pelo Sindicato dos Professores do Município do Rio de Janeiro e Região (Sinpro-Rio), professoras e professores aprovaram, por unanimidade, a participação na greve geral do dia 14 de junho. Os trabalhadores da rede privada de ensino do Rio de Janeiro, de São Paulo, Brasília, Pará, Minas Gerais, Alagoas, Pernambuco e Goiás, segundo a Confederação Nacional dos Trabalhadores em Estabelecimento de Ensino, já confirmaram que vão cruzar os braços no dia 14 de junho.