Funcionários dos Correios entram em greve

RIO / SÃO PAULO – Os funcionários dos Correios entraram em greve geral por tempo indeterminado. A greve foi decretada em assembleias realizadas ontem (10) à noite em diferentes estados como Rio e São Paulo. 

Os grevistas são contra a privatização da estatal e querem impedir a redução dos salários e de benefícios. Os funcionários também são contra o reajuste salarial de 0,08%.

Os trabalhadores querem também a reconsideração quanto à retirada de pais e mães do plano de saúde, melhores condições de trabalho e outros benefícios.

Na capital do Rio, os funcionários dos Correios iniciaram, na manhã de hoje (11) um protesto na porta do Centro de Tratamento de Encomendas em Benfica, na Zona Norte. A polícia acompanha a manifestação e tenta impedir que os manifestantes interditem o trânsito na Rua Leopoldo Bulhões, em frente ao Centro de Distribuição.

Sindicatos dos Correios se reúnem para definir se entram em greve

SÃO PAULO – Sindicatos que representam os funcionários dos Correios farão uma assembleia amanhã (10) para definir se a categoria entra ou não em greve. Os trabalhadores e a estatal estavam negociando um novo acordo coletivo, mas a empresa suspendeu as negociações.

Os funcionários dos Correios não concordam com a proposta de reajuste salarial oferecida pela estatal, de 0,8%.

Também estão em negociação a exclusão do vale cultura, a redução do adicional de férias e o aumento da mensalidade do convênio médico.

Garis aceitam proposta da Comlurb e cancelam greve na cidade do Rio

RIO – Os garis do Rio aceitaram a proposta da Comlurb que prevê um aumento de 4,7% apenas no salário dos trabalhadores, mantendo o vale alimentação e outros benefícios congelados.

O acordo, que foi aprovado numa assembleia realizada ontem (29), colocou fim na greve dos funcionários da Comlurb.  A paralisação estava suspensa desde sexta-feira (26). 

A proposta garante que até agosto todos os empregados da companhia estarão contemplados pelo Plano de Cargos, Carreiras e Salários.

Garis entram em greve na cidade do Rio

RIO – Os trabalhadores da Comlurb entram em greve na cidade do Rio por tempo indeterminado nesta sexta-feira (26). A decisão foi tomada após assembleia geral da categoria realizada ontem (25) à noite pelo Sindicato dos Empregadores de Empresas de Asseio e Conservação do Rio (Siemaco-RIO).

Os funcionários querem que a prefeitura atenda à reivindicação salarial de aumento de 10%. A Comlurb entregou uma proposta de reajuste de 4%, que foi rejeitada pelos trabalhadores.

A Comlurb afirma que não foi notificada pelo sindicato, mas que os profissionais precisam respeitar antecedência mínima de 72 horas para o início da paralisação, por se tratar de um serviço essencial.

Bruno Rosa, representante dos Empregados da Empresa, disse ainda não foi definido quais setores serão mais afetados pela greve. Na manhã de hoje (26), a greve não era total, e garis foram visto em bairros da Zona Sul carioca.

No final da manhã desta sexta-feira (26), o lixo era visto  acumulado em calçada de bairros do Rio como Tijuca, na Zona Norte. O sindicato informou que serviços essenciais não serão suspensos.

Os trabalhadores da Comlurb também querem adicional de insalubridade para agentes de preparação de comida, vigias e auxiliares de serviços gerais.

 

Caminhoneiros descartam paralisação após reunião com governo

BRASÍLIA – Os caminhoneiros tiveram uma reunião com o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, e após o encontro informaram que não haverá paralisação da categoria na próxima segunda-feira (29), como foi divulgado no fim de semana. A reunião durou quase cinco horas, e nela, o ministro prometeu reajustar a planilha da tabela do piso mínimo de frete, umas das principais reivindicações dos caminhoneiros.

A proposta apresentada pelo Ministério prevê que os próprios caminhoneiros vão ajudar a fiscalizar a tabela de frete. Ainda esta semana, o ministro e o presidente da Confederação Nacional dos Transportadores Autônomos deverão assinar um termo formalizando o procedimento. 

O Ministério da Infraestrutura também teria se comprometido a retirar multas de motoristas que fizerem as denúncias.

O encontro com o ministro reuniu cerca de 30 representantes de 11 entidades de classe, além de um grupo de caminhoneiros autônomos.

Garis suspendem greve no Rio

RIO – Os garis da cidade do Rio suspenderam a greve que começou ontem (22) pela manhã. A decisão foi tomada após uma reunião em que a Comlurb apresentou uma nova proposta de reajuste salarial. A companhia fez a proposta de aumento de 3,73% nos salários.

A proposta será avaliada em nova assembleia, que deverá acontecer na quinta-feira (25), e a categoria concordou em suspender a greve até essa reunião.

Os garis reivindicam reajuste de 10% no salário e também no vale alimentação, pagamento do acordo de resultados e pagamento de insalubridade para agentes do preparo de alimentos, auxiliares de serviços gerais e vigias.

Garis entram em greve na cidade do Rio

RIO – Os garis iniciaram uma greve na cidade do Rio. Os trabalhadores da Comlurb querem um reajuste de 10% no salário e também no Vale Alimentação. A prefeitura ofereceu aumento de 3,73%.

Por meio de nota, a Comlurb informou que a justiça do trabalho determinou que o Sindicato de Asseio do Município do Rio do Janeiro mantenha em atividade um contingente mínimo de 60% do efetivo. Garis foram vistos, na manhã desta segunda-feira (22), trabalhando em bairros como Copacabana e Tijuca.

A liminar concedida pela Justiça do Trabalho também proibiu piquetes. O entendimento do desembargador de plantão foi de que a situação de calamidade causada pelas fortes chuvas na cidade não pode prescindir do nosso trabalho nas ruas. Pesou também o fato de que a assembleia de 5a feira passada não deixou tempo hábil para que o aviso à população fosse publicado em jornais com 72 horas de antecedência, como determina a lei de greve.

Uma nova tentativa de negociação entre a Comlurb e o sindicato será realizada nesta segunda-feira (22) para decidir os rumos da paralisação.

 

Garis ameaçam entrar em greve no Rio

RIO – A cidade do Rio de Janeiro poderá enfrentar, a partir de segunda-feira (22), uma greve dos garis. A paralisação das atividades foi decidida pelos funcionários da Comlurb durante assembleia realizada na última quinta-feira (18). O presidente do Sindicato das Empresas de Asseio e Conservação do Município do Rio de Janeiro (Siemaco/RJ), Antonio Carlos da Silva, que representa a categoria, informou que está aguardando contraproposta da empresa, que pode sair ainda neste fim de semana, para marcar nova assembleia. Essa reunião definirá a manutenção ou não da greve.

Os garis reivindicam 10% de aumento salarial, além de implantação imediata do novo plano de cargos e salários, extensão do adicional de coleta para todos que realizam esse trabalho, inclusão de vigias e agentes de preparo de alimentos no adicional de insalubridade, aumento no tíquete alimentação, entre outros pleitos.

A proposta da companhia prevê reajuste baseado no índice de inflação, extensivo ao tíquete refeição e alimentação, que passará a ter valor mensal de R$ 736,48, além de concessão de insalubridade para os agentes de preparo de alimentos de escolas municipais e conclusão da implantação do plano de carreiras, cargos e salários.

Antonio Carlos disse que pretende negociar uma nova contraproposta que atenda aos pleitos dos trabalhadores .

Em nota, a Comlurb informou que mantém conversas constantes com a direção do sindicato, com o objetivo de fechar um acordo definitivo para evitar a paralisação dos garis.

Caminhoneiros ameaçam iniciar nova greve no próximo dia 29

RIO – Um dos representantes dos caminhoneiros Wanderlei Alves, conhecido como Dedéco, disse que a categoria pretende iniciar uma greve a partir da meia-noite do próximo dia 29. Ele acredita que, a exemplo do que ocorreu no ano passado, o movimento deve atingir o Brasil inteiro, crescendo à medida que os dias passam.

Segundo Wanderlei Alves, os caminhoneiros decidiram antecipar a paralisação, anteriormente prevista para 21 de maio, por causa do novo aumento do diesel. 

A mobilização, assim como a greve do ano passado, estaria  sendo planejada por grupos de WhatsApp fechados apenas para caminhoneiros.

Ano passado, os caminhoneiros fizeram uma greve com extensão nacional entre 21 e 30 de maio. A paralisação só terminou com a intervenção de forças do Exército Brasileiro e Polícia Rodoviária Federal para desbloquear as rodovias.