ouça
ao vivo

botão de play

Tocando agora

...

...

EUA: Senado aprova pacote para aliviar impactos da Covid-19 na economia

WASHINGTON (agências internacionais) – O Senado dos Estados Unidos aprovou, por ampla maioria, um pacote histórico de estímulos de US$ 2 trilhões de dólares.

Dólar bate R$ 5 pela 1ª vez na história, e Bovespa volta a suspender negócios

O dia de hoje (12) está sendo de forte turbulência para o principal índice da Bolsa de Valores de São Paulo e, por isso, os negócios já foram paralisados duas vezes na mesma sessão. A medida acompanha os mercados externos, onde as bolsas também despencam.

Guerra de preços do petróleo dá tombo de 12% na Bovespa; dólar vai a R$ 4,72

RIO – Uma guerra de preços iniciada pela Arábia Saudita envolvendo a produção de petróleo abalou os mercados mundiais nesta segunda-feira (9). Depois que o país árabe cortou o valor de venda do barril sinalizando o início da disputa com a Rússia, o preço do petróleo do tipo Brent chegou a recuar 31%, o maior tombo desde a Guerra do Golfo, em 1990 e 1991.

Taxa de câmbio para compras no cartão de crédito no exterior será a do dia a partir de amanhã

BRASÍLIA – Entra em vigor amanhã, dia 1º de março, a regra de que a cotação de dólar que será utilizada para a conversão de gastos com cartão de crédito no exterior passará a ser a do dia do gasto feito pelo cliente.

BC quer ampliar possibilidade legal para brasileiro ter conta em dólar no país

BRASÍLIA – O Banco Central encaminhou ao Congresso projeto de lei que propõe ampliar, gradualmente, as possibilidades legais de brasileiros manterem contas em dólar no país.

Derrota de Macri em eleições primárias faz dólar disparar e bolsa despencar na Argentina

BUENOS AIRES – A derrota do presidente Maurício Macri, nas eleições primárias na Argentina, derrubaram os títulos da dívida e ações de empresas argentinas nesta segunda-feira (12). O peso chegou a cair 30%, em relação ao dólar, que foi cotado a 60 pesos.

Guerra comercial entre China e Estados Unidos faz dólar disparar e Bovespa despencar

RIO (agências internacionais) – A queda de braço dos Estados Unidos com a China sacudiu o mercado global nesta segunda-feira (5). O comportamento do câmbio foi um reflexo do agravamento da tensão e das ameaças que comprometem as relações comerciais entre os dois países.