Ministério da Saúde compra produto incompatível com equipamentos usados contra o Aedes Aegypti no Rio

RIO – A Secretaria Estadual de Saúde do Rio informou que os estoques do inseticida utilizado no controle do mosquito Aedes Aegypti adultos estão abaixo dos níveis ideais no estado.

De acordo com o órgão, o Ministério da Saúde comprou um produto incompatível com os equipamentos disponíveis e isso gerou um déficit de 300 mil litros nas reservas estaduais.

O superintendente de Vigilância Epidemiológica da Secretaria, Mário Sérgio Ribeiro, explicou que problemas de formulação no inseticida comprado geraram entupimento dos equipamentos nos quais o produto é usado. 

Rio é o estado com mais mortes por chikungunya e casos de grávidas com zika

RIO – O estado do Rio já teve sete mortes em 2019 em razão de doenças transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti. O mais recente boletim do Ministério da Saúde informa que foram seis óbitos por chikungunya e um por dengue até o dia 11 de maio.

É o estado com mais mortes em decorrência da chikungunya. Em todos os outros estados ocorreram mais dois óbitos. Mas por outro lado, o Rio ainda está distante das 80 mortes por dengue ocorridas em São Paulo.

O Rio também é o local onde foram registrados mais casos de gestantes com o vírus zika, que pode levar os bebês a nascerem com a cabeça de tamanho menor do que o normal. Foram 72 casos confirmados, 1/3 dos 215 registrados no país.

Chikungunya avança e assusta moradores da Urca e Botafogo

RIO – Os casos de chikungunya avançam e assustam os moradores da Urca e de Botafogo, na Zona Sul do Rio. Segundo a Secretaria Municipal de Saúde, 24 moradores da Urca tiveram chikungunya do começo do ano até o último dia 20. Em Botafogo, foram 101 casos da doença desde janeiro.

A Associação dos Moradores da Urca divulgou um alerta sobre a situação e pediu urgência nas ações para combater os focos mosquito Aedes aegypti.