22 de janeiro de 2019

No Brasil, ‘o negócio da China’ é sair do chão

No Brasil, ‘o negócio da China’ é sair do chão

O presidente Jair Bolsonaro discursa hoje, no Fórum Econômico de Davos, na Suíça.

Ele se apresenta como caixeiro-viajante de um novo produto, vendedor de um “novo” Brasil, sob nova direção e aberto agora a novas relações e parcerias comerciais.

Tomara que ele seja convincente e tomara que a viagem, a mensagem, a propaganda… tudo dê certo, porque a competição é grande e a concorrência é mundial.

Além do Bolsonaro vendendo um “novo” Brasil, também tem gente lá vendendo um “novo” Japão, um “novo” Canadá, uma “nova” França, uma “nova” Inglaterra, uma “nova” Alemanha e até uma “nova” Rússia e uma “nova” China.

A diferença é que todos esses “novos” países já são ricos e poderosos – e os problemas deles se resumem basicamente a “como continuar ricos” ou “como ficar mais ricos”.

Já o “novo” Brasil, do Bolsonaro, do Temer, da Dilma, do Lula … e infelizmente de todos nós… ainda carece de ignição, de arranque e de decolagem.

No “Negócio da China”, por exemplo, o ceú é o limite! No Brasil, o negócio ainda é… sair do chão.

Que assim seja!