ouça
ao vivo

botão de play

Tocando agora

...

...

Home > Notícias > Rodoviários de pelo menos cinco empresas cruzam os braços no Rio

11 de junho de 2018

Rodoviários de pelo menos cinco empresas cruzam os braços no Rio

RIO – A Prefeitura do Rio acionou o plano de contingência para monitorar os serviços prestados pelos consórcios de transportes por causa da paralisação de motoristas e cobradores de ônibus da capital, que começou na madrugada de hoje (11). Os rodoviários reivindicam aumento salarial de 10%, pagamento de salários atrasados em algumas empresas, além de planos de sa&uacu

BRT Rio informou que nove articulados foram vandalizados nas primeiras horas da greve dos rodoviários no Rio. Divulgação BRT Rio

RIO – A Prefeitura do Rio acionou o plano de contingência para monitorar os serviços prestados pelos consórcios de transportes por causa da paralisação de motoristas e cobradores de ônibus da capital, que começou na madrugada de hoje (11). Os rodoviários reivindicam aumento salarial de 10%, pagamento de salários atrasados em algumas empresas, além de planos de saúde e auxílio-alimentação mais alto.

Funcionários de pelo menos seis empresas estão de braços cruzados nesta manhã: Ideal, Paranapuan, Real, Redentor, Barra e Três Amigos. Nelas trabalham quase 5 mil rodoviários, que atendem bairros das zonas Norte, Sul e Oeste do Rio. Mas, de acordo com o sindicato, o movimento já reúne um total de 8 mil rodoviários, já que há paralisações parciais.

Apesar de o Sindicato dos Motoristas e Cobradores afirmar que a greve é gradual, passageiros de vários bairros estão sofrendo com a falta de ônibus nas ruas. Muitos pontos seguem lotados, e alguns coletivos já foram depredados por grevistas.

Há informações de protestos na Avenida Brasil, na altura de Manguinhos, e na Ilha do Governador, onde carros particulares estão fazendo lotadas e vans circulam com passageiros em pé. Há informação também de que um ônibus foi apedrejado no Jacaré.

Devido à greve, os ônibus articulados dos corredores BRT operam com intervalos irregulares, e, segundo a concessionária que administra o sistema, motoristas estão sendo ameaçados e vários coletivos já foram depredados.

O Centro de Operações da Prefeitura do Rio recomenda que as pessoas se desloquem por trens, metrô, barcas ou VLT.

A operação nas barcas do serviço segue normal. Houve aumento no número de usuários somente na linha Cocotá-Praça XV. Segundo a concessionária CCR Barcas, na viagem de 7h, houve um aumento de 121%, na viagem de 8h, houve um aumento de 149% e na viagem de 9h20, não houve alteração.