ouça
ao vivo

botão de play

Tocando agora

...

...

Home > Notícias > Presidente do Equador reduz o próprio salário pela metade por causa da crise

13 de maio de 2020

Presidente do Equador reduz o próprio salário pela metade por causa da crise

LIMA – A medida foi tomada por causa da crise econômica provocada pela pandemia do novo coronavírus.

Lenin Moreno, presidente do Equador. Reprodução

LIMA (agências internacionais) – O salário mensal de US$ 5.072 (R$ 29.346) do presidente do Equador, Lenín Moreno, vai ser cortado pela metade até maio do ano que vem, quando o mandato dele termina. A medida foi tomada por causa da crise econômica provocada pela pandemia do novo coronavírus. Segundo um decreto assinado por Lenín Moreno, o corte de 50% também vale para os funcionários do gabinete presidencial.

Para enfrentar a crise, o presidente do Equador também reduziu em 8 por cento os salários dos funcionários públicos e enviou ao Congresso projetos de lei com o objetivo de arrecadar cerca de US$ 1,2 bilhão a partir de contribuições de empresas e de trabalhadores que ganhem mais de US$ 500.

O Equador tinha até ontem (12) mais de 29.500 casos de Covid-19, com 2.100 mortes.