07 de dezembro de 2018

Mulher é presa no Rio suspeita de vender peças falsificadas de marcas famosas

Mulher é presa no Rio suspeita de vender peças falsificadas de marcas famosas

Peças falsificadas de marcas famosas que eram vendidas por Suzana Castiglia. Divulgação Polícia Civil

RIO - A polícia do Rio prendeu uma mulher que costumava oferecer o material falsificado nas redes sociais, onde mantinha um perfil comercial para os produtos e ostentava uma vida luxo. Policiais civis da Delegacia de Repressão aos Crimes Contra a Propriedade Imaterial (DRCPIM) apreenderam com Suzana Castiglia cerca de R$ 1 milhão em materiais falsificados que seriam vendidos em um bazar na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio. Entre os produtos recolhidos estão óculos, bolsas, lenços, malas de viagens, relógios e cintos.

Em 2015, Suzana chegou a ser nomeada para o gabinete do presidente afastado da Alerj, Jorge Picciani, que atualmente está em prisão domiciliar. Suzana foi servidora da casa entre maio de 2015 e maio de 2016 e recebia aproximadamente R$ 5,1 mil.

Suzana Castiglia vai responder à Justiça por venda de produtos de origem criminosa e pode pegar de 4 a 11 anos de prisão.