ouça
ao vivo

botão de play

Tocando agora

...

...

Home > Notícias > Máscaras não serão mais exigidas em espaços fechados da cidade do Rio

7 de março de 2022

Máscaras não serão mais exigidas em espaços fechados da cidade do Rio

RIO – Passaporte vacinal será cobrado até o fim de março.

Divulgação Prefeitura do Rio

RIO – As pessoas que circulam pela cidade do Rio de Janeiro não vão mais precisar usar máscara de proteção facial em espaços fechados.

O prefeito Eduardo Paes anunciou que vai cumprir a determinação do Comitê Científico do Rio para acabar com essa obrigatoriedade na capital fluminense através de um decreto. O colegiado se reuniu na manhã de hoje (7) e tomou essa decisão diante do cenário epidemiológico da cidade. Em locais abertos, o uso de máscaras no Rio já tinha sido abolido em outubro do ano passado.

O secretário municipal de Saúde, Daniel Soranz, ressaltou, no entanto, que a exigência do passaporte vacinal continuará valendo até pelo menos o fim deste mês de março.

Arte com o fundo branco, títulos e subtítulos em tons de azul claro e azul escuro respectivamente. Trechos do decreto com fonte preta e destaque em amarelo. Texto: A partir de hoje (7/3), mediante decreto em edição extra do diário oficial, o uso de máscara na cidade do Rio de Janeiro deixa de ser obrigatório. Art. 2° Fica desobrigado o uso de máscaras faciais para o acesso e a permanência de indivíduos nas dependências nos estabelecimentos industriais, comerciais e de prestação de serviços, bem como os órgãos público municipais e os demais locais, ambientes e veículos de uso público restrito ou controlado. Art. 3° Este Decreto entra em vigor na data de sua publicação, revogados, especialmente, o Decreto Rio 49.769, de 16 de novembro de 2021 e o Decreto Rio n° 49.766, de 11 de novembro de 2021. Rio de Janeiro, 07 de março de 2022; 458° ano da fundação da Cidade. EDUARDO PAES. O Comitê Especial de Enfrentamento à Covid-19 recomenda que permaneçam usando máscara em lugares fechados: Pessoas imunodeprimidas; Pessoas com comorbidades de alto risco; Pessoas não vacinadas; Pessoas com sintomas gripais. Redes sociais e logo da Saúde.