ouça
ao vivo

botão de play

Tocando agora

...

...

Home > Notícias > Liesa autoriza Imperatriz Leopoldinense ficar no Grupo Especial do carnaval do Rio

4 de junho de 2019

Liesa autoriza Imperatriz Leopoldinense ficar no Grupo Especial do carnaval do Rio

RIO – Os representantes das escolas de samba do Grupo Especial do Rio de Janeiro e membros fundadores da Liga Independente das Escolas de Samba (Liesa) decidiram não rebaixar a Imperatriz Leopoldinense para o grupo de acesso apesar de a agremiação ter ficado em 13º lugar no carnaval deste ano.

Desfile da Imperatriz Leopoldinense. Divulgação Riotur

RIO – Os representantes das escolas de samba do Grupo Especial do Rio de Janeiro e membros fundadores da Liga Independente das Escolas de Samba (Liesa) decidiram não rebaixar a Imperatriz Leopoldinense para o grupo de acesso apesar de a agremiação ter ficado em 13º lugar no carnaval deste ano.

A decisão foi tomada durante uma reunião plenária, ontem (3) à noite, na sede da Liesa, no Centro do Rio. Foram 8 votos a favor da virada de mesa e 5 contra.

Votaram contra a permanência da Imperatriz no Grupo Especial: Mangueira, Portela, Beija-Flor, Viradouro e Vila Isabel.

Votaram a favor da permanência da Imperatriz no rupo especial: São Clemente, Paraíso do Tuiuti, Estácio de Sá (campeã da série A), Grande Rio, União da Ilha, Salgueiro, Mocidade e Unidos da Tijuca.

A Império Serrano, última colocada no carnaval deste ano e que teve o rebaixamento mantido, e a Imperatriz Leopoldinense, beneficiada pela decisão, não tiveram direito a voto.

A justificativa dada pelas escolas favoráveis à virada de mesa foi que manter 14 agremiações no grupo especial vai engrandecer artisticamente o espetáculo.

Os itens de pauta da reunião da noite passada eram a aprovação das contas de 2019 e do orçamento para o ano que vem, mas foi colocada também a permanência da Imperatriz no grupo especial em 2020 por causa das dificuldades gerais do grupo de acesso. 

O presidente da Liesa, Jorge Castanheira, pediu afastamento do cargo por não concordar com a medida.

Essa “virada de mesa” é a terceira realizada pela Liesa em três anos consecutivos, após decisões que salvaram do rebaixamento a Paraíso do Tuiti (em 2017); e a Grande Rio e o Império Serrano (em 2018).