ouça
ao vivo

botão de play

Tocando agora

...

...

Home > Notícias > Justiça de Goiás condena gêmeos idênticos a registrar uma mesma menina como filha porque nenhum deles admite a paternidade

3 de abril de 2019

Justiça de Goiás condena gêmeos idênticos a registrar uma mesma menina como filha porque nenhum deles admite a paternidade

GOIÂNIA – A justiça de Goiás condenou dois irmãos gêmeos de 31 anos a registrar e pagar pensão a uma mesma filha. Os réus não quiseram assumir a paternidade e foram submetidos a exames laboratoriais de DNA, mas como são univitelinos, com o código genético idêntico, os exames mostraram compatibilidade da criança com os dois. 

Justiça de Goiás condenou dois irmãos gêmeos a registrar e pagar pensão a uma mesma filha. Reprodução Tribunal de Justiça

GOIÂNIA – A justiça de Goiás condenou dois irmãos gêmeos de 31 anos a registrar e pagar pensão a uma mesma filha. Os réus não quiseram assumir a paternidade e foram submetidos a exames laboratoriais de DNA, mas como são univitelinos, com o código genético idêntico, os exames mostraram compatibilidade da criança com os dois. 

A mãe da menina tem 25 anos e contou que teve um relacionamento curto com um dos gêmeos, mas não sabe como identificá-lo em relação ao irmão.

Diante da imprecisão dos testes laboratoriais e como nenhum dos gêmeos assumiu a paternidade, o juiz da Comarca de Cachoeira Alta, Filipe Luís Peruca, determinou que os dois sejam incluídos na Certidão de Nascimento da menina, que hoje tem 8 anos, e que paguem, cada um, pensão alimentícia no valor de 30% do salário mínimo.

Ainda de acordo com a justiça, para que fosse possível uma identificação era necessário um exame, chamado Twin Test, que custa R$ 60 mil, mas também não é conclusivo.

O Tribunal de Justiça de Goiás não revelou a identidade de nenhum dos envolvidos no processo.