Juiz da Lava-Jato nega prisão de Mantega, mas manda ex-ministro usar tornozeleira eletrônica

Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil

CURITIBA – O ex-ministro da Fazenda Guido Mantega nos governos Lula e Dilma Rousseff vai ter que usar tornozeleira eletrônica.

A decisão é do juiz da Lava-Jato do Paraná, Luiz Antonio Bonat, substituto do atual ministro da Justiça, Sérgio Moro, na 13ª Vara Federal de Curitiba. Bonat determinou a medida no mesmo despacho que autorizou a deflagração da 63ª fase da Lava-Jato, denominada Carbonara Chimica.

Na ação, foi preso, em São Paulo o ex-executivo da Odebrecht Maurício Ferro. Na casa dele, foram apreendidas quatro chaves de criptografia que podem dar acesso a pastas do sistema de propina da Odebrecht com conteúdo desconhecido pela Polícia Federal.

A força-tarefa pediu a prisão de Mantega, mas o juiz rejeitou, por considerar que não havia razões para tirar a liberdade do ex-ministro. O magistrado também determinou o bloqueio de R$ 50 milhões das contas de Mantega.

O Ministério Público acusa o petista de ter atuado a favor da Odebrecht quando era ministro.