ouça
ao vivo

botão de play

Tocando agora

...

...

Home > Notícias > Homem que fazia reféns num ônibus na Ponte Rio-Niterói é morto por atirador de elite do Bope

20 de agosto de 2019

Homem que fazia reféns num ônibus na Ponte Rio-Niterói é morto por atirador de elite do Bope

RIO – O Rio de Janeiro amanheceu nesta terça-feira, 20 de agosto, sob o impacto da notícia do sequestro de um ônibus executivo na Ponte Rio-Niterói.

Sequestrador desceu do ônibus e foi morto por um atirador de elite do Bope. Reprodução Internet

RIO – O Rio de Janeiro amanheceu nesta terça-feira, 20 de agosto, sob o impacto da notícia do sequestro de um ônibus executivo na Ponte Rio-Niterói. O coletivo ficou atravessado na pista sentido Rio, no trecho do vão central, por mais de três horas, tempo que durou a negociação da polícia com o sequestrador. 

O homem que manteve passageiros e o motorista do ônibus reféns foi morto por um atirador de elite do Bope, por volta das 9h, quando ele saiu rapidamente do coletivo. Ele foi identificado como Willian Augusto da Silva, de 20 anos. 

O porta-voz da PM do Rio, coronel Mauro Fliess, informou que o bandido portava uma arma de brinquedo. Nenhuma pessoa que estava dentro do ônibus ficou ferida. Quatro mulheres e dois homens foram liberados antes do desfecho do sequestro. A polícia estima que 31 pessoas ainda estavam dentro do ônibus, mas esse número ainda não foi confirmado oficialmente.

O governador do Rio comemorou o fim do sequestro do coletivo. Wilson Witzel chegou ao local e celebrou, fazendo gestos com as mãos, após desembarcar de um helicóptero. 

Wilson Witzel anunciou que vai promover por bravura os atiradores de elite que participaram da ação que terminou com o sequestro. O governador também contou que esteve em contato com a família do sequestrador e que os parentes pediram desculpas pelo ocorrido.

O ônibus sequestrado era da viação Galo Branco, linha 2520, que faz o trajeto Jardim Alcântara, em São Gonçalo, até o Estácio.

Por causa do sequestro desse ônibus na Ponte, o trânsito foi interditado nos dois sentidos da via, e isso causou um caos em Niterói e aumentou o número de passageiros nas barcas que ligam as duas cidades da Região Metropolitana do Rio.