ouça
ao vivo

botão de play

Tocando agora

...

...

Home > Notícias > Covid-19: Quais as chances de contágio pelas embalagens?

24 de agosto de 2020

Covid-19: Quais as chances de contágio pelas embalagens?

RIO – Algumas sugestões de especialistas para tornar o período de isolamento social mais agradável para todos.

 

RIO – Desde que o governo chinês comunicou ter encontrado traços do novo Covid-19 nas embalagens de um lote de frango exportado pelo Brasil, muitos tem se perguntado: Quais são as reais chances de contágio através das embalagens de alimentos?

Apesar do Ministério da Agricultura informar que “segundo a Organização das Nações Unidas e a Organização Mundial da Saúde (OMS), não há comprovação científica de transmissão do vírus da Covid-19 a partir de alimentos ou embalagens de alimentos congelados”, o episódio levantou muitas dúvidas.

1. É possível ser infectado por Covid-19 a partir de embalagens?

Mesmo a chance sendo pequena, sim, é possível. Estudos laboratoriais mostraram, ainda no início da pandemia, que o vírus sobrevive por horas, senão dias em embalagens, principalmente se elas forem de papelão ou plástico. Além disso, o vírus é mais estável em temperaturas mais baixas, que é a forma pela qual muitos alimentos são transportados.

Em artigo publicado na revista científica The Lancet, Emanuel Goldman, professor de microbiologia dos Estados Unidos, disse: “Na minha opinião, a chance de transmissão por meio de superfícies inanimadas é muito pequena e apenas nos casos em que uma pessoa infectada tosse ou espirra na superfície e outra pessoa toca essa superfície logo após a tosse e o espirro (dentro de uma a duas horas).”

2. Como o vírus pode ser transmitido?

O risco de transmissão é geralmente baseado na suposição de que trabalhadores contaminados de fábricas onde alimentos são embalados podem ter passado o vírus a superfícies de embalagens após tocarem olhos, nariz ou boca.

Entretanto, especialistas estão cada vez mais seguros de que o coronavírus se espalha diretamente de pessoa para pessoa, nas seguintes formas:

  • Entre pessoas que estão em contato próximo umas com as outras (dentro de 2m).

  • Através de gotículas produzidas quando uma pessoa infectada tosse, espirra ou fala.

  • Quando as gotas caem na boca ou nariz de pessoas próximas (ou são inaladas pelos pulmões).

3. Como manter-se em segurança?

A Organização Mundial de Saúde (OMS) afirma que “não há atualmente nenhum caso confirmado de covid-19 transmitido por alimentos ou embalagens de alimentos”. Entretanto, recomenda algumas precauções para evitar uma contaminação cruzada:

  • As mãos devem ser bem lavadas após manusear as embalagens dos alimentos e antes de comer;

  • Usar desinfetante de mãos antes de entrar na loja, se possível, assim como lavar bem as mãos quando voltar para casa e também após manusear e armazenar os produtos comprados;

  • A entrega a domicílio não deve ser motivo de preocupação desde que o entregador siga boas práticas de higiene pessoal e alimentar;

  • As unhas devem ser mantidas sem esmalte e curtas, também evitar anéis que podem acumular sujeiras e micro-organismos;

  • É importante lavar as mãos após receber entregas de alimentos. Alguns especialistas também recomendam o uso de sacolas plásticas apenas uma vez;

  • Higienize a bancada que vai receber os alimentos, logo depois, as embalagens, pia e tábua de corte, se for utilizar.

Essas são algumas sugestões para você manter os cuidados básicos, em época de epidemia ou não, além de estar prevenindo o coronavírus, você também pode evitar uma série de outras doenças.

Fonte: BBC

#jbfmcontraocoronavirus