ouça
ao vivo

botão de play

Tocando agora

...

...

Home > Notícias > Como se preparar para o retorno das aulas presenciais?

22 de setembro de 2020

Como se preparar para o retorno das aulas presenciais?

RIO – É importante ter conversas sinceras com a criança, explicar a nova realidade e entender como agir no retorno.

 

RIO – A pandemia do Covid-19 está afetando todos os segmentos de mercado. Com a educação não é diferente. Alguns estados brasileiros já estão executando os planos de retomada das atividades e separamos aqui para você algumas informações e dicas práticas que vão auxiliar no retorno das aulas presenciais. Confira:

1. Atente-se para as decisões dos órgãos competentes

Desde junho, instituições como o Ministério da Educação (MEC) e o Conselho Nacional da Educação (CNE) têm divulgado diretrizes para o retorno das aulas presenciais.

Nesses documentos, você vai encontrar orientações sobre medidas coletivas e individuais de prevenção à Covid-19, critérios para a retomada de atividades presenciais e sugestões aos sistemas de ensino. 

2. Tenha um papo sincero

E de acordo com a idade. Retome a explicação sobre a situação da pandemia, lembrando a criança dos motivos que levaram a pausa e de que agora é uma nova fase, que, apesar de melhor, ainda precisa de cuidados.

3. Volta gradual

Mesmo após o retorno presencial, o recomendado é que as instituições ainda sigam aplicando aulas remotas para que haja uma redução na circulação de pessoas. Com menos estudantes indo para a escola, menos pais, mães e responsáveis precisam sair para levá-los e menor é o risco de contágio.

4. Medidas básicas de higienização

As medidas vêm sendo aplicadas em larga escala mundo afora, e não poderão ser descartadas quando da volta às aulas no Brasil. A desinfecção de todo o ambiente deve ser realizada com frequência diária, no mínimo, após o encerramento das atividades da instituições em cada dia.

Quanto à higienização, algumas dicas práticas são a disponibilização de lavatórios e tapetes com solução higienizadora para os calçados próximos à entrada das instituições, além de dispensadores de álcool em gel em todas as salas. É muito importante orientar todo o corpo docente sobre a higienização e melhores práticas quanto a ela será essencial, seja por meio de cartazes espalhados pela instituição ou até mesmo pela fiscalização nas primeiras semanas, até que se torne um hábito.

Escolas voltam às aulas após pandemia de Covid-19 - 25/05/2020 - Educacao -  Fotografia - Folha de S.Paulo

5. Que tal inventar?

Incentive a criança, antes de ir para a escola, a criar novas formas de cumprimentar o amigo e brincar mantendo a distância. Aproveite para testar as brincadeiras com ela em casa.

6. Uso de máscara

Por mais que o adereço não seja dos mais confortáveis, a população do Brasil e do mundo tem aprendido a utilizá-lo como parte integrante já de suas vestimentas ao sair na rua. Para a volta às aulas, contar com as máscaras de proteção com ao menos duas camadas de tecido deverá ser obrigatório durante todo o período de permanência nas dependências da instituição — e também em seus arredores, para estimular que se utilize sempre que a pessoa estiver na rua.

7. Aferir a temperatura

Para adentrar os recintos educacionais deverá ser obrigatório estar com a temperatura dentro do considerado salutar diante da Covid-19. Caso haja qualquer alteração, o estudante ou professor não terá acesso permitido à instituição e será orientado a buscar ajuda pelos recursos disponíveis em sua cidade.

8. Distanciamento obrigatório

Após mais de três meses com as instituições de ensino fechadas, fica evidente que o distanciamento social não poderá voltar quando da retomada das aulas presenciais.

Importante lembrar que provavelmente saídas coletivas para recreio e refeições nas cantinas não serão permitidas, sob risco de aglomeração e disseminação da doença. Além disso, mesmo com a distância segura sendo mantida, manter janelas sempre abertas e priorizar aulas em ambientes ao ar livre são algumas dicas que você também pode implementar.

9. Confiança

Ouça as dúvidas da criança e se não souber responder, diga que a pergunta é interessante e que vai falar com a escola em busca da resposta. Dessa forma, ela vai se sentir parte ativa e ainda terá a segurança de que a escola sabe como recebê-la.

Essas foram algumas dicas e informações, baseadas no que já vem sendo praticado em outros lugares e nas recomendações específicas do nosso país.