ouça
ao vivo

botão de play

Tocando agora

...

...

Home > Notícias > Cerimônia encerra simbolicamente intervenção federal na Segurança do Rio

27 de dezembro de 2018

Cerimônia encerra simbolicamente intervenção federal na Segurança do Rio

RIO – Uma cerimônia realizada hoje (27), no Palácio Duque de Caxias, encerrou simbolicamente a intervenção federal na Segurança do Rio de Janeiro. O governador em exercício, Francisco Dornelles, o interventor, general Braga Netto, e o ministro da Justiça, Torquato Jardim, estavam presentes. A intervenção federal termina oficialmente na próxima segunda-feira (31), ap&

Durante a cerimônia, o governador em exercício do Rio entregou medalhas a militares que se destacaram nos trabalhos da intervenção. Divulgação governo do Rio

RIO – Uma cerimônia realizada hoje (27), no Palácio Duque de Caxias, encerrou simbolicamente a intervenção federal na Segurança do Rio de Janeiro. O governador em exercício, Francisco Dornelles, o interventor, general Braga Netto, e o ministro da Justiça, Torquato Jardim, estavam presentes. A intervenção federal termina oficialmente na próxima segunda-feira (31), após 319 dias.

Durante a cerimônia, o general Braga Netto disse: "Trilhamos um caminho difícil e incerto, mas cumprimos nossa missão". O interventor  ainda destacou como eixos principais desses 10 meses de atuação a recuperação operativa dos órgãos de segurança pública e a redução dos índices de criminalidade.

Os dados mostram que houve redução de 20% no número registrado de roubo de carga na comparação com março a novembro com igual período do ano passado. Houve queda também nos homicídios e roubos de rua, a pedestre e de veículos, mas índices como lesões corporais seguidas de morte e mortes por intervenção policial subiram.

Em setembro, pesquisa Datafolha apontou que três a cada quatro eleitores do Rio eram a favor da continuidade da intervenção federal na segurança pública no estado.

O decreto que tirou do governador Luiz Fernando Pezão o comando sobre as polícias do Rio foi assinado pelo presidente Michel Temer no dia16 de fevereiro, logo após o carnaval.