ouça
ao vivo

botão de play

Tocando agora

...

...

Home > Notícias > Caminhoneiros fazem segundo dia de protestos em vários estados brasileiros

22 de maio de 2018

Caminhoneiros fazem segundo dia de protestos em vários estados brasileiros

RIO – Caminhoneiros autônomos estão fazendo protestos em estradas de vários estados brasileiros nesta terça-feira (22). Esse é o segundo dia consecutivo que eles fazem paralisação contra o aumento do preço do combustível.

Já foram registrados atos em pelo menos 11 estados: Bahia, Espírito Santo, Goiás,

A manifestação dos caminhoneiros contra o aumento do preço do combustível. Antônio Cruz/Agência Brasil

RIO – Caminhoneiros autônomos estão fazendo protestos em estradas de vários estados brasileiros nesta terça-feira (22). Esse é o segundo dia consecutivo que eles fazem paralisação contra o aumento do preço do combustível.

Já foram registrados atos em pelo menos 11 estados: Bahia, Espírito Santo, Goiás, Mato Grosso, Minas Gerais, Paraíba, Santa Catarina, São Paulo, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul e Tocantins.

A maioria dos protestos impede a passagem de caminhões, mas libera a de carros de passeio e outros veículos. Alguns atos ocorrem apenas nos acostamentos.

Nas últimas horas foram registradas manifestações em estradas de acesso ao Rio como Via Dutra, na altura de Barra Mansa, na Rodovia BR 101, nos trechos de Manilha e Campos, na Rodovia Washington Luiz, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, e na Rio Santos, no trecho de Itaguaí.

O presidente Michel Temer vai se reunir hoje (22) com diretores da Petrobras para analisar a alta de preço dos combustíveis. Ao dar a informação, o ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, disse que o objetivo é verificar se é possível ter alguma "previsibilidade" na fixação dos preços. O presidente do Senado, Eunício Oliveira, e o da Câmara, Rodrigo Maia convocaram uma comissão-geral do Congresso para o próximo dia 30.

Rodrigo Maia disse que a ideia é discutir políticas compensatórias para a alta dos combustíveis. Para o deputado, no curto prazo o governo deveria avaliar a possibilidade de zerar impostos como a Cide e diminuir o PIS/Cofins. Maia frisou, no entanto, que a redução de tributos é apenas uma sugestão e que o tema deverá ser debatido de maneira mais ampla.