ouça
ao vivo

botão de play

Tocando agora

...

...

Home > Notícias > Bolsonaro promete fim das emissões de gases do efeito estufa até 2050

22 de abril de 2021

Bolsonaro promete fim das emissões de gases do efeito estufa até 2050

BRASÍLIA – Compromisso anunciado na Cúpula de Líderes sobre o Clima antecipa em 10 anos a meta anterior, do Acordo de Paris.

Marcos Corrêa /Presidência da República

BRASÍLIA – O presidente Jair Bolsonaro prometeu adotar medidas que reduzam as emissões de gases e cobrou o que chamou de ‘justa remuneração’ por serviços ambientais prestados pelos biomas brasileiros ao planeta. As declarações foram dadas por vídeo na Cúpula de Líderes sobre o Clima, organizada pelos Estados Unidos.

Bolsonaro disse que o Brasil se compromete a zerar até 2030 o desmatamento ilegal e alcançar até 2050 a neutralidade zero de emissões de gases do efeito estufa no país, antecipando em 10 anos a meta anterior, prevista no Acordo de Paris. 

Durante o discurso, além de estabelecer metas e compromissos, o presidente apontou as iniciativas do Brasil para a preservação do meio ambiente, como projetos nas áreas de geração de energia limpa e de desenvolvimento tecnológico na agricultura.

“O Brasil participou com menos de 1% das emissões históricas de gases de efeito estufa, mesmo sendo uma das maiores economias do mundo. No presente, respondemos por menos de 3% das emissões globais anuais”, disse.

Segundo o presidente, para alcançar as metas de desmatamento, é preciso, além de medidas de ações e controle, promover o desenvolvimento sustentável da Região Amazônica, que, segundo ele, é a mais rica do país em recursos naturais, mas que apresenta os piores índices de desenvolvimento humano.

“Devemos aprimorar a governança da Terra, bem como tornar realidade a bioeconomia, valorizando efetivamente a floresta e a biodiversidade. Esse deve ser um esforço que contemple os interesses de todos os brasileiros, inclusive indígenas e comunidades tradicionais”, destacou Bolsonaro.

O presidente afirmou aainda que é fundamental contar com os recursos financeiros de países, empresas, entidades e pessoas “dispostos a atuar de maneira imediata, real e construtiva na solução desses problemas”.