Imigração norte-americana segue com rigor na avaliação de entrada no país mas alivia quem tem o green card

Presidente Donald Trump assina ordem executiva para construção de muro na fronteira com o México. Agência AFP / Nicholas Kamm

AGÊNCIAS INTERNACIONAIS – A imigração dos Estados Unidos segue com procedimentos rigorosos para permitir a entrada de pessoas procedentes de 7 países de maioria muçulmana. Segundo decreto do novo presidente Donald Trump, a política de extremo rigor vale para cidadãos vindos do Irã, Iraque, Síria, Líbia, Sudão, Somália e Iêmen. Quem tem o green card – o passaporte de estadia permanente -, não terá problemas. Dos 325 mil estrangeiros que chegaram ao território americano no sábado (28/1), 109 foram separados para checagem rigorosa. Já no domingo (29/1), 20 deles seguiam retidos, enquanto 200 foram impedidos de embarcar para os Estados Unidos. O decreto de 6ª-feira (27/1) suspendeu a entrada no país de refugiados muçulmanos durante 120 dias e a entrada por 90 dias daqueles que têm nacionalidade iraniana, iraquiana, síria, líbia, sudanesa, somali e iemenita. O decreto, no entanto, sofreu um veto parcial da Justiça. A Corte de Nova York proibiu as autoridades de deportem cidadãos desses sete países que possuam documentos válidos para entrar nos Estados Unidos. Eles receberam visto de permanência temporária. Houve protestos contra as medidas restritivas do decreto de Trump nos aeroportos de Nova York, Washington, Chicago, Minneapolis, Denver, Los Angeles, San Francisco e Dallas.