Fachin abre 76 inquéritos no STF e lista inclui 9 ministros, a cúpula do Congresso e 3 governadores.

Foto: Agência Brasil / Marcelo Camargo

BRASÍLIA – Nove ministros, 29 senadores, 42 deputados federais e três governadores estão na lista dos políticos que serão investigados no Supremo Tribunal Federal (STF) como consequência das delações da Odebrecht. Ao todo, o relator da Lava Jato no STF, ministro Edson Fachin, decidiu abrir 76 inquéritos. O jornal O Estado de São Paulo, que divulgou as informações, teve acesso a despachos do ministro Fachin assinados eletronicamente no dia 4 de abril. O presidente do PSDB, Aécio Neves, e o do PMDB, Romero Jucá, são os políticos com o maior número de inquéritos – cinco, cada. O ex-presidente do senado Renan Calheiros, do PMDB, vai responder a quatro inquéritos. O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, do Democratas, e o do Senado, Eunício Oliveira, do PMDB, também serão investigados. Os governadores alvo de inquéritos são o petista Tião Viana, do Acre, o peemedebista Renan Filho, de Alagoas, e Robinson Faria, do Rio Grande do Norte, que é do PSD. O ex-prefeito do Rio Eduardo Paes também está na lista. A relação dos políticos que serão investigados no Supremo Tribunal Federal (STF) foi noticiada em veículos de diferentes países, como Estados Unidos, Argentina e Alemanha.