Depoimento de Lula ganha repercussão na imprensa internacional

Foto: Reprodução de vídeo

CURITIBA – O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva voltou a afirmar, no depoimento ao juiz Sergio Moro e no comício que fez em seguida, no centro de Curitiba, que será candidato à Presidência da República no ano que vem. O petista foi ouvido como réu pela primeira vez em processo da Lava-Jato sobre o triplex no Guarujá, em São Paulo. O Ministério Público Federal acusa o ex-presidente de ter recebido o imóvel como parte de propina da OAS, que tinha contratos com a Petrobras. No depoimento, Lula negou ser dono do triplex e atribuiu à mulher, dona Marisa Letícia, que morreu em fevereiro, o interesse e as decisões sobre o imóvel. Durante o interrogatório, Lula também negou ter orientado o ex-presidente da OAS Leo Pinheiro a destruir provas documentais de supostos pagamentos de propina ao PT. Em determinado momento, o ex-presidente disse que, se um dos 200 milhões de brasileiros tivesse lhe dito que havia um esquema de corrupção na Petrobras, ele teria mandado a diretoria inteira da estatal embora. O juiz Sergio Moro fez perguntas sobre o Mensalão, mas Lula disse que falaria apenas sobre o processo do triplex. O petista também evitou responder questões sobre o sítio em Atibaia. A justiça já liberou todos os vídeos do depoimento, que durou quase 5 horas e ganhou grande repercussão na imprensa nacional e também na internacional, em jornais como Clarín, Le Monde e The New York Times.