ouça
ao vivo

botão de play

Tocando agora

...

...

Márcia Peltier conversa com o estilista, escritor e professor André Carvalhal

O Programa Márcia Peltier Entrevista na rádio JB FM traz, na semana entre 19 e 25 de agosto, o estilista, escritor e professor André Carvalhal.

Ele está à frente da criação de estilo da grife AHLMA, em parceria com o Grupo Reserva e defende uma moda sustentável, com consciência social e preço justo.

É co-fundador da MALHA, movimento por uma moda independente, colaborativa e inovadora.

Foi diretor de marketing da FARM por 10 anos.

Foi consultor e idealizador de projetos especiais para empresas como Grendene, Coca-Cola e Unilever.

Escreveu os livros “A Moda Imita a Vida: Como Construir uma Marca de Moda” e “Moda com Propósito: Manifesto pela Grande Virada”. É colunista dos programas “Sem Censura” na TV Brasil e “Se Essa Roupa Fosse Minha” no GNT.

Durante a conversa com Márcia Peltier, ele fala sobre o conceito de “moda sustentável” e “moda colaborativa”, comenta a proposta dos seus livros, defende que moda não pode ter desperdício e explica porque nós vestimos “bicho, planta e petróleo”.

Você não pode perder André Carvalhal no Márcia Peltier Entrevista, na rádio JB FM (99,9), em duas edições: de segunda à sexta, às 7h50 e às 18h15, dentro do Painel JB. E aos sábados e domingos, às 10h e às 18h.

 

(19/ago) – Você trabalhou em grandes marcas de moda e saiu para fundar a sua marca: a AHLMA. Por que você fez essa mudança?

 

(20/ago) – Qual o diferencial da sua marca em relação a outras grifes do mundo fashion?

(21/ago) – Um das coisas que a gente sabe que também causa muitos danos ao meio-ambiente são os tingimentos. O que a gente pode fazer para defender a natureza desses tingimentos tão nocivos?

(22/ago) – A gente tem que entender que a moda pode ser feita com qualidade, com charme e ser reciclada?

(23/ago) – O seu livro mais recente se chama “Viva o fim – O almanaque do novo mundo”. Que novo mundo é esse?

(24/ago) – Na década de 30, as mulheres usavam 9 peças de roupa por ano. Atualmente, são 64 peças por ano. Na sua opinião, isso é uma evolução ou um exagero?

(25/ago) – Você também tem um outro livro que eu achei muito interessante o título: “Moda com propósito – Manifesto pela grande virada”.Como é moda com propósito?