“Eric Clapton: Life in 12 Bars”: cantor fala sobre o documentário

O cantor e guitarrista Eric Clapton comentou o quanto foi difícil assistir ao documentário “Eric Clapton: Life in 12 Bars”, sobre a vida e história do artista. Dirigido pela sua grande amiga, Lili Fini Zanuck – vencedora do Oscar em 1989 por “Conduzindo Miss Daisy” – , que conhece há 25 anos, o longa metragem mostra a vida do britânico de 72 anos, incluindo as partes mais obscuras: o problema do cantor com o seu vício em álcool, sua luta contra as drogas e a morte do seu filho de 4 anos em 1991. Durante o Festival Internacional de Cinema, confessou: “Me assistir passando por aquilo não foi fácil”.

Vanessa da Mata libera música inédita, ouça “Orgulho e Nada Mais”
U2 apresenta “You’re The Best Thing About Me” em programa de TV nos EUA
Sam Smith lança “Too Good At Goodbyes”, ouça

Eric Clapton já havia falado sobre seus vícios em sua autobiografia, lançada em 2007, onde conta os 20 anos de problemas com drogas e álcool, revelando ter gasto cerca de R$ 49 mil reais por semana com heroína na década de 1970. Segundo ele, a morte do seu filho foi o que o estimulou a ficar sóbrio. Lili Zanuck fala que para ela, o documentário fala sobre redenção pessoal, e acrescentou: “Ninguém lhe tirou do desespero, ele mesmo fez isso”. O “Life in 12 Bars” ainda não tem data de lançamento confirmada.