ouça
ao vivo

botão de play

Tocando agora

...

...

Home > Notícias > Procurador-Geral da República, Augusto Aras, pede ao STF suspensão do inquérito das ‘fake news’

27 de maio de 2020

Procurador-Geral da República, Augusto Aras, pede ao STF suspensão do inquérito das ‘fake news’

BRASÍLIA – O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal, autorizou operações de busca e apreensão em endereços de investigados, determinou a quebra de sigilos fiscal e bancário e mandou bloquear contas em redes sociais.

Foto: Agência Brasil

BRASÍLIA – O procurador-geral da República, Augusto aras, pediu que o Supremo Tribunal Federal suspenda o inquérito que investiga uma suposta organização criminosa responsável por uma campanha de ódio e fake news nas redes sociais.

O inquérito, que tem como relator o ministro Alexandre de Moraes, resultou em 29 buscas e apreensões feitas nesta quarta-feira (27) pela Polícia Federal. O objetivo é apurar quem financia esses ataques.

A ação inclui a apreensão de computadores, tablets, celulares e outros materiais. Alexandre de Moraes também determinou a quebra de sigilos fiscal e bancário de suspeitos de financiar o esquema. Além disso, mandou bloquear contas em redes sociais de 17 investigados.

O ministro justificou que a medida é necessária para interromper os discursos com conteúdo de ódio, subversão da ordem e incentivo à quebra da normalidade institucional e democrática.

Ao pedir a suspensão do inquérito ao ministro Edson Fachin, do STF, o procurador-geral da República,  Augusto Aras, argumentou que não vê crime nos posts,  e que considera desproporcionais as medidas de bloqueio das contas em redes sociais.

Aras também ponderou que a Procuradoria-Geral da República foi surpreendida com as operações da Polícia Federal desta quarta-feira sem a participação, supervisão e anuência prévia do órgão.