ouça
ao vivo

botão de play

Tocando agora

...

...

Home > Notícias > PF faz operação contra desvios de recursos na saúde do Rio em endereços ligados ao governador

26 de maio de 2020

PF faz operação contra desvios de recursos na saúde do Rio em endereços ligados ao governador

RIO – Os mandados da operação Placebo foram expedidos pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ).

Palácio Laranjeiras é residência oficial do governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel. Agência Brasil / Fernando Frazão

RIO – Quinze equipes da Polícia Federal deflagraram, no início da manhã de hoje (26), a operação Placebo para cumprir 12 mandados de busca e apreensão no Rio e em São Paulo. A ação apura indícios de desvios na saúde do Rio de Janeiro para ações decorrentes da pandemia de novo coronavírus.

Policiais federais foram até ao Palácio Laranjeiras, residência oficial do governador um pouco depois das 7h. Wilson Witzel acompanhou as buscas o tempo todo, e os agentes foram embora depois de cerca de três horas no local. Equipes da PF também foram mobilizadas para a casa onde Witzel morava antes de ser eleito, no Grajaú, para o escritório de advocacia da primeira-dama, Helena Witzel, no Leblon, e para a casa do ex-secretário de Saúde Edmar Santos, em Botafogo.

Os mandados foram expedidos pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ).

O governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC), negou, em nota, qualquer participação em esquema de fraudes na Saúde do estado, alvo de investigação da Polícia Federal nesta terça-feira (26). Confira a nota oficial abaixo:

“Não há absolutamente nenhuma participação ou autoria minha em nenhum tipo de irregularidade nas questões que envolvem as denúncias apresentadas pelo Ministério Público Federal. Estranha-me e indigna-me sobremaneira o fato absolutamente claro de que deputados bolsonaristas tenham anunciado em redes sociais nos últimos dias uma operação da Polícia Federal direcionada a mim, o que demonstra limpidamente que houve vazamento, com a construção de uma narrativa que jamais se confirmará. A interferência anunciada pelo presidente da República está devidamente oficializada. Estou à disposição da Justiça, meus sigilos abertos e estou tranquilo sobre o desdobramento dos fatos. Sigo em alinhamento com a Justiça para que se apure rapidamente os fatos. Não abandonarei meus princípios e muito menos o Estado do Rio de Janeiro”.