Vítimas da rebelião do presídio de Manaus vão ser colocados em contêiner frigorífico para aguardar exames de necrópsia

Imagem: Agência Brasil

Imagem: Agência Brasil

O governo do Amazonas vai alugar um contêiner frigorífico para guardar os corpos dos presos assassinados durante a rebelião no complexo penitenciário Anísio Jobim, em Manaus. O IML da capital amazonense não tem capacidade para receber todas as vítimas. Ao menos 60 detentos foram mortos no motim, iniciado por uma briga de facções criminosas rivais. A rebelião de Manaus já é o segundo episódio mais sangrento da história do sistema prisional brasileiro. O mais trágico ficou conhecido como massacre do Carandiru, em 1992, quando 111 detentos foram mortos pela polícia, em São Paulo.

RÁDIO JBFM 99.9 - Rio de Janeiro
1