Procuradoria-Geral da República deve pedir ao STF que investigue Eliseu Padilha

Imagem: (Antônio Cruz/Agência Brasil)

Imagem: (Antônio Cruz/Agência Brasil)

BRASÍLIA – Depois do carnaval, a Procuradoria-Geral da República deve pedir ao Supremo Tribunal Federal a abertura de inquérito para investigar o ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha. Padilha foi citado em depoimentos de delação premiada de executivos e ex-executivos da Odebrecht como suposto beneficiário de recursos ilícitos no esquema investigado pela Operação Lava Jato. O ministro também foi mencionado por José Yunes, amigo e ex-assessor do presidente Michel Temer, em depoimento à Procuradoria-Geral da República no último dia 14. Na ocasião, Yunes contou que recebeu “documentos” do doleiro Lúcio Funaro a pedido de Padilha, durante a campanha presidencial de 2014. Mas, segundo delação premiada do ex-vice-presidente de Relações Institucionais da Odebrecht Cláudio Melo Filho, havia dinheiro no envelope. Yunes disse desconhecer o conteúdo do envelope, que segundo ele, foi entregue em seu escritório a pedido de Eliseu Padilha e retirado posteriormente por um emissário. O ministro Eliseu Padilha pediu licença do cargo para se submeter a uma cirurgia de próstata.