Presidente Michel Temer chama massacre de presos em Manaus de “acidente pavoroso” e é criticado.

Foto: Agência Brasil / Valter Campanato

Foto: Agência Brasil / Valter Campanato

Brasília – O Presidente Michel Temer considerou o massacre no presídio de Manaus um “acidente pavoroso”. A afirmação foi feita depois de um período de silêncio, só interrompido 4 dias após o início do motim no complexo Anísio Jobim. Ao ser questionado sobre a declaração presidencial e receber críticas da imprensa, o ministro da justiça, Alexandre de Moraes, disse que não comentava declaração presidencial. Temer disse na reunião com ministros nesta quinta-feira que estava solidário às famílias das vítimas. Já o ministro da justiça atribuiu a responsabilidade à falha por parte da empresa terceirizada que administra o complexo penal onde ocorreu a matança.

RÁDIO JBFM 99.9 - Rio de Janeiro
1