Polícia pede prisão de mulher de embaixador grego, PM e de mais um suspeito de participar da morte do diplomata

Foto: Agência AFP

Foto: Agência AFP

NOVA IGUAÇU – A polícia civil do Rio pediu a prisão da brasileira Françoise Amiridis, mulher do embaixador da Grécia no Brasil, Kyriakos Amiridis, do policial militar Sérgio Gomes Moreira Filho e de um homem identificado apenas como Eduardo. De acordo com as investigações, os três são suspeitos de participação na morte do diplomata de 59 anos. A polícia trabalha com a hipótese de homicídio passional. Segundo o depoimento dos dois homens, a mulher seria a mandante do crime, mas ela negou a informação. O embaixador grego estava desaparecido desde segunda-feira quando saiu da casa onde estava passando férias em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense, em um carro alugado sem dizer onde ia. O veículo foi encontrado incendiado com o corpo do diplomata dentro nas proximidades do Arco Metropolitano. A mulher dele só relatou o desaparecimento de Kyriakos Amiridis na quarta-feira. Agentes da Divisão de Homicídios da Baixada Fluminense encontraram um sofá com manchas de sangue na residência onde o diplomata estava com a mulher. O casal tem uma filha de 10 anos.