PF cumpre mandados de prisão como parte da operação Lava Jato no Rio, e um dos alvos é Eike Batista

Foto feita pelo repórter aéreo Carlos Eduardo Cardoso da sede da Polícia Federal no Rio, na Zona Portuária.

Foto feita pelo repórter aéreo Carlos Eduardo Cardoso da sede da Polícia Federal no Rio, na Zona Portuária.

RIO – Agentes da Polícia Federal e do Ministério Público Federal estão desde cedo fazendo uma operação para cumprir nove mandados de prisão preventiva e quatro conduções coercitivas como parte da operação Eficiência, a segunda fase da Lava Jato no Rio de Janeiro. Entre os principais alvos com mandados de prisão expedidos está o empresário Eike Batista. O advogado de Eike, Fernando Martins, informou que o empresário não está no Brasil, mas disse que ele vai se entregar à polícia. Essa etapa da operação foi baseada em dois acordos de colaboração que revelaram como funcionava o esquema de lavagem da propina cobrada pelo ex-governador Sérgio Cabral em todos os contratos do governo do estado, durante a gestão dele. Também foram expedidos mandados de prisão preventiva contra Sérgio de Castro de Oliveira, chamado Serjão, operador do esquema; Thiago Aragão, sócio do escritório de Adriana Ancelmo, o advogado Francisco de Assis Neto, o Kiko, o doleiro Álvaro José Galliez, e Flávio Godinho, ex-braço direito de Eike Batista e atual vice-presidente de futebol do Flamengo. Os detidos serão levados para a sede da Polícia Federal no Rio, que fica na Zona Portuária.