Pastor Silas Malafaia é alvo de condução coercitiva em operação da PF

Foto: Divulgação Facebook

Foto: Divulgação Facebook

RIO – A Polícia Federal deflagrou, na manhã desta sexta-feira, uma operação no Distrito Federal e em 11 estados para desarticular uma quadrilha que montou um esquema de corrupção nas cobranças de royalties da exploração mineral. Um dos suspeitos é o pastor Silas Malafaia, que é alvo de condução coercitiva. A polícia quer esclarecer se Malafaia pode ter “emprestado” contas correntes de uma instituição religiosa com o objetivo de ocultar a origem ilícita dos valores. No topo da pirâmide do esquema estaria o diretor do Departamento Nacional de Produção Mineral Marco Antônio Valadares e a mulher dele. Segundo a polícia, o grupo fraudava os valores de royalties de mineração devidos por mineradoras a municípios, e a Vale estaria entre as empresas prejudicadas. Foram expedidos 52 mandados de busca e apreensão e 29 de condução coercitiva, além de quatro mandados de prisão preventiva, 12 de prisão temporária, bloqueio de três imóveis e bloqueio judicial de valores que podem alcançar R$ 70 milhões. A operação foi batizada de Timóteo em referência a um dos livros da Bíblia. Além do DF, as ações da Polícia Federal ocorrem em Goiás, Bahia, Mato Grosso, Minas Gerais, Pará, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Sergipe e Tocantins.

RÁDIO JBFM 99.9 - Rio de Janeiro
1