Organização Mundial da Saúde alerta para a disseminação da febre amarela na América do Sul

Agência Brasil / Wilson Dias

Agência Brasil / Wilson Dias

A Organização Mundial da Saúde (OMS) fez um alerta sobre o risco dos casos de febre amarela se espalharem pela América do Sul. Segundo o documento, Argentina, Paraguai e Venezuela fazem fronteira com estados brasileiros onde há registros da doença e possuem ecossistema parecido com o das regiões afetadas. Quando os primeiros casos surgiram, a OMS já tinha alertado para a possibilidade da febre amarela se alastrar pelo Brasil. Casos confirmados ou suspeitos já foram identificados em Minas Gerais, Espírito Santo, Bahia, São Paulo, Goiás e Mato Grosso do Sul. O boletim da organização acredita que podem surgir ocorrências em outras unidades da federação devido ao movimento interno de pessoas e de macacos infectados, além do baixo nível de cobertura vacinal nas áreas que antes não estavam com risco de transmissão da doença. De acordo com o Ministério da Saúde o Brasil tem 921 notificações de febre amarela, sendo 161 confirmadas, 58 descartadas e 702 sob investigação; além do registro de 60 mortes provocadas pela doença.