Ministro da Saúde reduz de 4 para 2 o número mínimo de médicos nas UPAs

Foto: Agência Brasil / Marcello Casal

Foto: Agência Brasil / Marcello Casal

BRASÍLIA / RIO – As Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) foram autorizadas a trabalhar com um número mínimo de dois médicos, em vez de quatro. A mudança foi anunciada pelo ministro da Saúde. Segundo Ricardo Barros, a ideia é que um dos médicos trabalhe no período diurno e o outro, à noite. o ministro justificou que há hoje no país 165 UPAs já concluídas e que não estão funcionando porque os prefeitos estão sem recursos para inaugurá-las. Ricardo Barros disse ser preferível dois médicos do que nenhum. Em nota, o Conselho Federal de Medicina e a Associação Médica Brasileira criticaram a redução do número mínimo de médicos nas upas e afirmaram que a medida vai “penalizar” ainda mais os profissionais de saúde, além da população a ser atendida. As entidades anunciaram que vão recorrer à justiça contra a portaria que altera o funcionamento das UPAs.

RÁDIO JBFM 99.9 - Rio de Janeiro
1