Ministério Público recorre contra transferência de Adriana Ancelmo para prisão domiciliar

Foto: Agência O Dia / Alexandre Brum

Foto: Agência O Dia / Alexandre Brum

O Ministério Público Federal entrou com recurso contra a decisão da justiça, de converter em domiciliar a prisão preventiva de Adriana Ancelmo, mulher do ex-governador Sérgio Cabral. O juiz Marcelo Bretas concedeu o direito por entender que os filhos do casal, de 11 e 14 anos, não podem ficar sem o pai e a mãe ao mesmo tempo. Em casa, Adriana não poderá ter contato com o mundo externo por telefone ou internet e só terá direito a receber visitas de parentes e advogados. O apartamento da ex-primeira-dama está passando por adaptação para o cumprimento da decisão judicial. O Ministério Público, no entanto, alega que, apesar das precauções, existe a possibilidade de Adriana Ancelmo movimentar o patrimônio oculto do casal.