Rio tem 27 de 100 batalhões com ocupação de parentes dos PMs

1474473572_502888_1475337619_noticia_normal

Familiares de policiais militares permanecem nas portas de 27 dos 100 batalhões do Estado do Rio de Janeiro neste domingo (12). Apesar da mobilização, segundo o Comando da Corporação as viaturas e PMs envolvidos no policiamento estão nas ruas, descartando uma paralisação semelhante a que ocorre no Espírito Santo. As rendições, quando necessárias, estão sendo realizadas fora dos batalhões ou em outras unidades que não tenham a entrada bloqueada. No sábado (11), uma reunião entre as partes terminou sem acordo. Os parentes reivindicam o pagamento do 13º salário, dos valores referentes a metas atrasadas e da gratificação pelo trabalho durante os Jogos Olímpicos. De madrugada, dois policiais militares trocaram tiros na porta do 12º Batalhão, em Niterói. Segundo o comandante da unidade, Tenente-Coronel Márcio Rocha, um dos PMs é lotado no Ministério Público, passava de carro quando ouviu tiros e viu um homem armado, imaginando que fosse um criminoso, mas era um sargento à paisana. O sargento, ferido nas costas, foi atendido em um hospital particular de Icaraí e tem quadro de saúde estável. Apesar do confronto, três mulheres e uma menor permanecem ocupando a porta do 12º Batalhão. O caso foi registrado na 76ª DP. O Ministério Público vai acompanhar a investigação.