Governo corta mais de R$ 42 bilhões do Orçamento e anuncia fim de desonerações para empresas

Foto: Os ministros da Fazenda, Henrique Meirelles, e do Planejamento, Dyogo Oliveira, anunciam corte no Orçamento-Geral da União. Agência Brasil / Fabio Rodrigues Pozzebom

Foto: Os ministros da Fazenda, Henrique Meirelles, e do Planejamento, Dyogo Oliveira, anunciam corte no Orçamento-Geral da União. Agência Brasil / Fabio Rodrigues Pozzebom

BRASÍLIA – O governo anunciou um corte de R$ 42,1 bilhões no Orçamento da União para este ano de 2017 com o objetivo de ajudar a cobrir o déficit de R$ 58,2 bilhões nas contas públicas. A equipe econômica também anunciou um aumento do tributo sobre a folha de pagamentos da maior parte dos setores da economia. A medida preserva alguns setores intensivos em mão de obra para os quais, segundo o governo, a desoneração faz mais sentido. São eles: transporte rodoviário coletivo de passageiros; transporte ferroviário e metroviário; construção civil e obras de infraestrutura; e comunicação, incluindo aí atividades de rádio e televisão, prestação de serviços de informação, edição e edição integrada à impressão. As cooperativas, que estavam isentas do imposto sobre operações financeiras, passarão a recolher IOF. O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, disse que o governo também vai contar com as receitas não previstas inicialmente da concessão de hidrelétricas que estão retornando para o controle da União. A arrecadação adicional prevista é de R$ 10,1 bilhões. Já os recursos oriundos de precatórios, de R$ 8,6 bilhões, não puderam ser considerados neste momento. Mas o governo espera poder incluir essa opção no orçamento nos próximos meses, reduzindo a necessidade de corte de gastos anunciada.